Posted By WiFeed
Como capturar leads e fazer ações de marketing mensuráveis nos ambientes físicos?

Sua empresa já impacta as pessoas de uma forma mensurável nos ambientes físicos? Você utiliza ferramentas para saber quem são os clientes que frequentam estes ambientes físicos e quais são seus comportamentos? Sua empresa investe, utiliza ou testa frequentemente novas tecnologias com foco no varejo físico? Se alguma destas respostas foi não, acreditamos que este texto pode ajudá-lo a entender que, iniciar essa transformação é muito importante e é muito mais fácil do que parece.

Não há dúvidas que a cada ano, a verba de marketing digital das empresas vem crescendo se comparada à verba voltada ao marketing em mídias tradicionais. Um dos fatores para o aumento desta preferência, de acordo com a PWC, deve-se ao pensamento das empresas de que um maior engajamento com a marca será mais decisivo para o sucesso das campanhas do que o volume da audiência.

Apesar deste grande crescimento do digital nos últimos anos, estima-se que o varejo físico ainda representa cerca de 48% do PIB Brasileiro, fator que demonstra sua grande capacidade em atrair potenciais consumidores e sua força na hora de vender os produtos que estão em seus ambientes.

Hoje, existem diversos estudos afirmando que o varejo físico passará sim por uma grande transformação, mas que não acabará. Caso tenha interesse em saber, nossas duas últimas postagens se aprofundam de maneira brilhante neste tema: ‘O varejo físico irá acabar?’ e ‘Pontos de experiência: a salvação do varejo físico’.

O fato é que o mundo real é e continuará sendo, por muito tempo, o meio mais utilizado para a comercialização dos mais diversos produtos. Sua constante evolução faz parte de um processo em busca da perpetuação e isso nos mostra um ponto muito importante: as marcas que desejam possuir uma fatia considerável das vendas neste varejo físico, devem se transformar e inovar, no mínimo, no mesmo ritmo deste mercado.

No mercado mundial e brasileiro, já existem diversas ferramentas que facilitam e melhoram o desempenho das marcas na comunicação com seu público-alvo em ambientes físicos. Umas muito utilizadas e já conhecidas, como por exemplo, os programas de fidelidade e sistemas de gerenciamento dos produtos na gôndolas, outras não tão utilizadas e conhecidas mas que a cada dia vem ganhando espaço no mercado, como por exemplo, aplicativos e plataformas de veiculação de anúncios através do Wi-Fi.

Vendo este movimento e a necessidade de algumas empresas em conhecer novas ferramentas, formulamos este texto com o objetivo de mostrar uma ferramenta que torna possível a captação de leads, a veiculação de ações de marketing mensuráveis e o entendimento do comportamento das pessoas em ambientes físicos.

Você já parou para pensar o que um estádio de futebol, um supermercado, um hospital e uma casa de festas têm em comum? Além de serem ambientes físicos que atraem e atendem milhares de pessoas mensalmente, são ambientes que precisam de internet para o bom andamento de suas atividades e que possuem a capacidade de oferecer esta conectividade às pessoas que ali frequentam.

De acordo com a Technomic, o Wi-Fi é o tipo de conexão mais utilizado nos smartphones brasileiros, cerca de 87% dos usuários utilizam este serviço. Por isso, através de um meio tão difundido entre locais e pessoas como o Wi-Fi, o WiFeed vem possibilitando que grandes marcas impactem e coletem dados do seu público alvo em ambientes físicos.

 

Mas como esta ferramenta funciona?

 

  1. O WiFeed transforma a rede Wi-Fi do estabelecimento em uma rede de Wi-Fi livre. Então, uma pessoa ao entrar num shopping, casa de festa, supermercado, academia ou clínica médica, primeiramente vai verificar em seu aparelho, se existe alguma rede de Wi-Fi para se conectar.
  2. Ao clicar na rede de Wi-Fi livre disponibilizada, uma tela subirá em seu smartphone solicitando que seja feito um rápido cadastro via Facebook, Google ou preenchimento de dados. A partir deste momento, a captação do lead já foi feita e todos os dados já estão armazenados e serão tratados pela ferramenta para que haja uma maior assertividade nas próximas etapas.
  3. Após o cadastro, o usuário é direcionado a uma nova tela. Chegou a hora de a marca conversar e impactar o público de uma maneira inteligente e assertiva. São disponibilizadas até 3 telas para que sejam veiculadas: ofertas promocionais, vídeos, pesquisas e imagens. Neste momento, a ferramenta analisa e entrega em tempo real as métricas de engajamento do usuário com relação às campanhas efetuadas, assim como sua resposta aos estímulos dados, trazendo então mensuração à este ambiente.
  4. Após estes procedimentos, o usuário é liberado para navegar na rede em um determinado período e métricas de comportamento, como por exemplo, tempo de permanência, locais que frequenta e periodicidade de presença em determinados locais são adicionadas no sistema à medida em que as informações vão sendo capturadas.

 

Com isso, vemos que de uma maneira simples, o WiFeed consegue entregar leads, marketing mensurável e dados de um ambiente físico.

Ao utilizar uma ferramenta com um funcionamento simples, interativo e pautado na experiência do usuário, a marca tem a possibilidade de inovar e aumentar o engajamento de um determinado público. Estes tipos de plataforma, possibilitam que grandes marcas estejam em ambientes onde as pessoas estão propensas a ouvir e ver o que tem a mostrar e consequentemente possibilitam uma veiculação de conteúdo relevante, com uma experiência envolvente e assertiva.

Além disso, por se utilizar de uma ferramenta muito difundida como o Wi-Fi, sua capilaridade e baixa barreira de entrada faz com que seja possível uma grande captação de dados e informações relevantes ao negócio. Consegue desde a captura de dados cadastrais, passando por dados comportamentais e chegando até na verificação de tendências futuras.

O fato é que atualmente existem ferramentas que podem facilitar o dia a dia das empresas e com isso aumentar o resultado e a eficiência de suas atividades. As portas das empresas que oferecem estas tecnologias estão abertas para que as ferramentas sejam utilizadas nos mais variados tipos de segmentos. Porém, para que isso seja utilizado ao máximo, é necessário que as marcas estejam dispostas a se abrir e a mudar (para melhor) alguns hábitos e procedimentos de suas atividades cotidianas.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *